Conquistar a Segurança Financeira é o primeiro passo rumo a Liberdade Financeira

 

Certo dia eu estava na fila do caixa eletrônico do banco e presenciei uma situação um tanto quanto triste e comovente.

Em um dos caixas um senhor de idade estava tentando sacar dinheiro.

Vi que ele tinha dificuldades para sacar o dinheiro, afinal, a visão cansada dos aparentes 68 anos tornava a leitura do menu de opções do caixa muito lenta.

Com todas aquelas perguntas e solicitações do caixa eletrônico percebi que ele estava um pouco perdido e atrapalhado.

Como já passava das dezenove horas não havia nenhum funcionário do banco para ajudá-lo naquele momento.

Na minha frente havia quatro pessoas que também presenciavam a cena.

Eu queria ajudar, mas só ajudaria se percebesse que ele realmente não conseguiria fazer o saque.

Quando chegou a minha vez, depois de uns dez minutos aproximadamente, o senhor conseguiu finalizar o saque.

Virou-se para uma moça do caixa ao lado, e com um semblante de decepção disse balançando o dinheiro que havia sacado no caixa:

– Depois de tantos anos de trabalho olha só o que tenho para passar o mês.

Não sei qual era o valor que ele tinha nas mãos, mas tratava-se do valor que recebera da aposentadoria.

– Com esse dinheiro mal consigo pagar as despesas de casa – continuou o senhor.

– Quando me aposentei até que conseguia me virar, mas fiquei muito doente e tive que fazer um empréstimo para pagar as contas do hospital.

– Agora todo mês minha aposentadoria vem com desconto e recebo essa “mixaria”.

– Já não era muito porque me aposentei com um valor menor do que quando eu trabalhava, agora com esses descontos então… Tá cada vez mais difícil!

 

Ouvindo as palavras daquele senhor logo percebi que ele era mais uma vítima da falta de um plano de segurança financeira.

Esse não é um caso isolado, infelizmente, na verdade essa é a realidade de muitos.

Neste caso estamos falando da aposentadoria, mas a falta de segurança financeira reflete em muitos aspectos de nossa vida.

 

Como você vê a segurança financeira na sua vida?

 

Suponha que você chegue para trabalhar na segunda feira, logo após ter batido o carro no final de semana e recebe a notícia de que será demitido.

Para complicar ainda mais, você não renovou a apólice do seguro do carro porque não tinha dinheiro para isso.

Parece trágico, mas todo mundo está sujeito a isso não é mesmo?

Como você se sentiria?

Você estaria preparado para enfrentar esta fase da sua vida financeira?

Se você não se sente confortável com essas perguntas você também pode estar sendo vítima da falta de segurança financeira.

Todos terão que lidar mais cedo ou mais tarde com uma ou mais situações como desemprego, doença, velhice etc.

Com você também não é diferente.

Você já considerou a possibilidade de perder o emprego e não ter segurança financeira para atender as suas despesas básicas, ou de sua família?

Já pensou o quanto seria doloroso precisar de dinheiro para atender alguém doente na família e não estar preparado para isso?

Você já imaginou ser obrigado a trabalhar para completar sua renda na velhice?

Com certeza ninguém quer passar por isso.

Lamentavelmente, você jamais vai conseguir eliminar o risco de passar por situações assim, mas é sua responsabilidade planejar e se preparar para isso.

Continue lendo este artigo até o final e você vai aprender tudo sobre segurança financeira, como se proteger e evitar que seus sonhos virem pesadelos.

Você vai aprender neste artigo:

Então vamos lá? Mas antes, compartilhe com seus amigos e ajude eles a entenderem como ter Segurança Financeira também.

 

QUAIS SÃO AS TRÊS FASES DA VIDA FINANCEIRA?

As três fases da vida Financeira

 

Você já ouviu falar em Independência Financeira?

E em Liberdade Financeira, já ouviu?

É bem provável que você já tenha ouvido.

Mas, você consegue diferenciar um conceito do outro?

É bem comum que as pessoas confundam esses termos, e considerem os dois como sendo a mesma coisa.

Mas isso não é certo!

Independência financeira e Liberdade financeira são duas fases distintas em nossa vida financeira.

É fundamental entendermos sobre as duas fases para que possamos identificar em qual fase estamos.

Mas o que a segurança financeira tem a ver com isso?

Bem, nossa vida financeira possui três fases distintas: A Segurança Financeira, a Independência Financeira e a Liberdade Financeira.

A segurança financeira é a primeira e a mais importante das três fases.

Vamos ver a diferença:

Segurança Financeira: A segurança financeira está ligada à qualidade de vida, às coisas básicas como educação, saúde, transporte, habitação etc.

Independência Financeira: É a segunda fase da vida financeira.

Você alcança a independência financeira a partir do momento em que seus ativos proporcionam a você renda passiva suficiente para pagar sua segurança financeira.

Nesta fase você ainda tem que controlar bem os gastos e fazer boas escolhas para não perder a Independência financeira.

Liberdade Financeira: Você alcança a Liberdade Financeira quando o rendimento de seus ativos (sua renda passiva) é maior que as suas despesas mensais.

Essa é a fase tão sonhada por grande parte da população.

Nesta fase, você não precisa trabalhar para pagar suas contas e ainda tem liberdade para fazer escolhas financeiras sem se preocupar com o dinheiro.

Você pode ler mais sobre a Independência Financeira e Liberdade Financeira nestes artigos aqui:

Vamos ver agora com mais detalhes o que é Segurança Financeira e como alcançá-la.

 

O QUE É SEGURANÇA FINANCEIRA E COMO ALCANÇÁ-LA?

O que é Segurança Financeira

 

Imagine isso: Você trabalha, recebe seu salário, paga suas despesas básicas, mantêm uma reserva de dinheiro para imprevistos, e ainda poupa para aposentadoria.

Você não se sentiria mais confortável com isso?

Isso não seria maravilhoso?

A segurança financeira representa tudo isso!

Você tem segurança financeira quando você possui dinheiro suficiente para garantir três condições básicas: Segurança básica, Segurança contra imprevistos e Segurança Futura.

Cada uma das etapas da segurança financeira é representada na pirâmide de Segurança Financeira abaixo.

 

Pirâmide Segurança Financeira

 

Vamos ver cada uma delas com mais detalhes.

 

SEGURANÇA BÁSICA: QUAIS SÃO AS CONDIÇÕES PARA CONQUISTAR A SEGURANÇA BÁSICA?

Segurança Básica

 

A segurança básica está na base da pirâmide, esta etapa trata praticamente da sobrevivência, com um mínimo de qualidade de vida.

A segurança básica é alcançada quando você tem dinheiro suficiente para pagar suas despesas básicas como: alimentação, moradia, transporte, educação, saúde e lazer.

Veja que estamos falando basicamente de despesas essenciais à sobrevivência, com um mínimo de conforto, um padrão de vida simples.

Porém, é importante mencionar que, apesar de não serem consideradas por muitos como essenciais, nem como obrigatórias por inflarem o orçamento sem um retorno visível, se possível, nesta etapa também devemos incluir algumas despesas que proteja a vida e o patrimônio.

Despesas como: seguro de veículo, plano de saúde, seguro de vida, e seguro residencial também são indispensáveis em um bom plano de segurança financeira.

A partir do momento que você tem dinheiro suficiente para pagar essas despesas você tem segurança financeira básica.

 

SEGURANÇA CONTRA IMPREVISTOS: COMO PROTEGER SEUS SONHOS PARA QUE ELES NÃO VIREM PESADELOS

Segurança contra imprevistos

 

A segurança contra imprevistos está no centro da pirâmide de segurança financeira.

Ter uma reserva de dinheiro para lhe socorrer caso aconteça um imprevisto é o primeiro passo em um bom plano de segurança financeira.

Se essa não é uma de suas prioridades financeiras é muito provável que isso nunca aconteceu com você:

  • Você nunca precisou fazer um reparo de emergência no seu carro.
  • Sua máquina de lavar, seu ferro de passar, seu televisor, ou qualquer outro aparelho jamais precisou ir ao concerto (e nem vai precisar).
  • Sua casa ou apartamento jamais precisou e nunca vai precisar fazer reparos urgentes como: trocar fechaduras, fazer reparos na parede, encanamentos, rede elétrica etc.
  • Você nunca atrasou a fatura do cartão de crédito e nunca pagou somente o valor mínimo da fatura, por isso nunca precisou pagar os juros altíssimos cobrados pelo cartão.

Ufa… Se você realmente nunca passou por uma dessas situações e acha que não está sujeito a passar, olha…Definitivamente você é uma pessoa a ser estudada 🙂

O que eu quero dizer é que imprevistos acontecem com todo mundo, acontece comigo, com você, com o seu vizinho…

Essas são apenas quatro de um milhão de razões para você priorizar uma reserva de emergência financeira. Tenho certeza que você pode pensar em muitas outras.

É certo que uma reserva contra imprevistos jamais vai assegurar que você não passe por situações indesejadas.

Mas com certeza vai ajudar você a se proteger, a proteger seu patrimônio e a passar por essas situações de uma maneira mais tranquila caso aconteça.

Uma reserva de emergência também vai ajudar você a proteger seus sonhos e seus objetivos financeiros.

Imagine que você está um ano guardando dinheiro para fazer a viagem dos seus sonhos e de repente… Algo que você nunca esperava acontece e você vai precisar do dinheiro.

Difícil não é mesmo?

Pense nisso!

Você pode ler mais sobre imprevistos no artigo: FUNDO DE EMERGÊNCIA: 5 RAZÕES PARA VOCÊ TER UM, vale a pena dar uma olhadinha lá.

 

SEGURANÇA FUTURA: APOSENTADORIA NÃO É SÓ INSS!

Segurança Futura

 

No topo da pirâmide está a última etapa para conquistar a segurança financeira: a segurança futura.

Quando falamos em segurança básica e segurança contra imprevistos estamos falando no agora, em garantir o pagamento das suas despesas básicas e uma reserva de dinheiro para imprevistos.

A segurança futura nada mais é do que garantir este mesmo padrão de vida no futuro, ou seja, garantir este mesmo padrão de vida na velhice.

Para isso é preciso formar uma reserva de dinheiro para garantir que no futuro não tenhamos problemas financeiros.

Geralmente essa reserva é formada através de um plano de previdência. Mas essa não deve ser a única!

Se você é igual à maioria dos brasileiros é bem provável que você já contribui para previdência, seja ela pelo regime geral (INSS) ou regime próprio – no caso de servidores públicos (RPPS).

Acontece que a previdência no Brasil não anda muito “bem das pernas”.

Como dizem por aí INSS significa: Isso Nunca Será Suficiente.

Efetivamente, já não está sendo suficiente!

O déficit previdenciário já atingiu cifras gigantescas, enquanto escrevo este artigo o déficit previdenciário passa de R$ 112,6 bilhões, e se mantém numa trajetória acentuada.

Agora eu lhe pergunto: Será que dá para confiar sua tranquilidade financeira futura ao INSS?

É certo que não!

Por isso é preciso ir além para garantir um futuro mais tranquilo financeiramente.

Juntamente com a contribuição previdenciária é de fundamental importância que seja destinada uma parte da sua renda para a criação de ativos que possam lhe proporcionar renda passiva no futuro.

Como expliquei neste guia, para garantir sua segurança futura destine no mínimo 10% da sua renda para criação de ativos.

 

A SEGURANÇA FINANCEIRA E O PENSAMENTO NEGATIVO

Segurança Financeira e Pensamento Negativo

Quem vive proferindo palavras negativas acaba atraindo coisas e fatos que ele teme (Masaharu Taniguchi)

 

Imagine uma pessoa que só fala sobre doenças, pensa como doente, age como doente… O que essa pessoa vai ter na vida?

Sabemos que nossos pensamentos geram sentimentos, nossos sentimentos geram ações e nossas ações geram resultados.

Pensamentos negativos atraem coisas negativas.

Se você tem pensamentos e sentimentos negativos na sua vida, seus resultados também serão negativos.

Mas o que isso tem a ver com segurança financeira?

Acontece que buscar segurança financeira não significa viver focado em se preparar para coisas e tempos ruins.

Quando você entra no carro e coloca o sinto de segurança você está pensando em se proteger ou em um acidente?

O cinto de segurança serve para te proteger caso aconteça algum acidente, é diferente de colocar o sinto pensando em um acidente, compreende?

O foco deve estar na proteção, na segurança, não no acidente!

Da mesma forma, dê foco na segurança financeira, não em coisas ruins que possa lhe acontecer.

Veja sua reserva contra imprevistos, por exemplo, como um ativo que lhe proporcione renda passiva todos os meses, e não como um “fundo para mal”.

Sua reserva de emergência deve fazer parte da sua riqueza financeira, a diferença é que ela servirá para garantir a segurança e proteção dos outros investimentos.

Se você gostou deste artigo, não se esqueça de cadastrar seu e-mail logo abaixo para sempre ser avisado(a) sobre novidades!

 


CONQUISTE SUA SEGURANÇA FINANCEIRA

Faça como mais de 5.000 leitores inteligentes. Receba GRATUITAMENTE informações valiosas sobre como cuidar melhor do seu dinheiro e construir uma vida financeiramente livre.direita


 

 

Você também pode gostar disso: