SÉRIE: APRENDA A INVESTIR EM RENDA FIXA E MULTIPLICAR SEU DINHEIRO: INVESTIMENTOS EM LCI

 

No artigo anterior da série falei sobre os Investimentos em CDB, um dos investimentos mais conhecidos pelos brasileiros. (Se você ainda não leu, recomendo a leitura aqui)

Neste artigo falarei sobre os Investimentos em LCI, as Letras de Crédito Imobiliário.

Leia este artigo até o final e você vai descobrir como investir em LCI e o que fazer para aumentar sua rentabilidade investindo nestes títulos.

Ao final deste artigo você terá condições de tirar suas próprias conclusões e analisar se é interessante investir o seu dinheiro em LCI, ou não, sem precisar da ajuda de seu gerente.

O que você vai aprender neste artigo:

O QUE É LCI
O que é LCI

 

As Letras de Crédito Imobiliário, LCIs, são títulos privados de renda fixa emitidos pelas instituições financeiras (em geral os bancos) e são lastreados por empréstimos de natureza imobiliária.

Títulos PrivadosMas que coisa é essa de lastreadas, natureza imobiliária, títulos privados…?

É… Vamos simplificar!

Afinal o mercado financeiro não é tão complicado assim, são esses termos que complicam! 🙂

A LCI é uma espécie de empréstimo que você faz para o banco, que por sua vez, pega o seu dinheiro e empresta para outras pessoas que solicitam financiamento imobiliário (compra, construção e reforma de imóveis).

Neste aspecto, os investimentos em LCI são semelhantes aos Investimentos em CDB.

Nos dois casos os bancos pegam o dinheiro dos investidores e emprestam esse dinheiro para quem precisa.

Investimento CDBQuando o dinheiro é captado através dos Investimentos em CDB os bancos emprestam esse dinheiro para as pessoas na forma de CDC (Crédito Direto ao Consumidor), limite de cheque especial e capital de giro.
Investimento LCIQuando o dinheiro é captado através dos Investimentos em LCI  os bancos emprestam para as pessoas adquirirem ou construírem imóveis. (são as chamadas linhas de crédito imobiliários).

 

Ao investir em LCI você compra um Título Privado do banco que te dá direito de receber o valor investido + os juros combinados no vencimento do título.

Quanto a serem lastreados por empréstimos de natureza imobiliária, significa que quem pega o dinheiro emprestado (captado pelas LCIs) do banco, dá como garantia o imóvel que está sendo financiado, é a chamada Alienação Fiduciária.

Certamente que isso não tem nada a ver com você enquanto investidor.

Não importa para quem o banco vai emprestar o dinheiro, e nem a garantia que ele vai querer de quem emprestou. Isso é um problema do banco.

É importante lembrar que não só os bancos podem emitir as LCIs, qualquer instituição financeira que empresta dinheiro através do crédito imobiliário pode emitir esses títulos.

É mais comum vermos os bancos como principais emissores das LCIs porque eles são de fato as principais instituições responsáveis pelo financiamento habitacional – daí a ligação!

Como financiam mais imóveis, também emitem mais LCIs.

Veja que ao investir em LCI, o banco paga juros para você e cobra juros de quem emprestou dele.

Essa é uma maneira que os bancos ganham dinheiro, isso porque os juros que eles pagam ao investidor (você) é menor que os juros que ele recebe de quem emprestou dele.

A diferença entre os juros que ele paga e os juros que ele recebe se chama Spread Bancário.

 

PRAZOS E LIQUIDEZ PARA OS INVESTIMENTOS EM LCI

Prazos e Liquidez LCI

 

A liquidez é a velocidade que você consegue transformar o seu investimento em dinheiro vivo, ou trazê-lo para a conta corrente.

Portanto, quanto maior for o prazo que você tem que manter seu investimento sem poder resgatar o dinheiro, menor será a liquidez.

A poupança, por exemplo, tem uma boa liquidez porque você pode sacar o dinheiro a qualquer momento, não depende de prazo.

Já os investimentos em imóveis por exemplo, tem liquidez baixa, isso porque você pode não conseguir vender o imóvel rapidamente caso precise de dinheiro.

Esse é um ponto importante em relação aos investimentos em LCI, e de certa forma uma desvantagem desses títulos em relação a outros títulos de renda fixa.

As Letras de Crédito Imobiliário não podem ser resgatadas a qualquer momento, prejudicando assim a liquidez do investimento.

Os prazos mínimos de vencimento dos investimentos em LCI variam de acordo com o tipo de indexador que o título possui.

Para as LCIs indexadas por índices de preços como o IPCA, por exemplo, os prazos são de 36 meses para os títulos atualizados mensalmente, e de 12 meses para os atualizados anualmente.

Essa atualização se refere a forma que os juros serão calculados, por exemplo: 5% a.a (ao ano), ou 1% a.m (ao mês).

No caso dos investimentos em LCI que não utilizam indexadores o prazo mínimo é de 90 dias.

É importante lembrar que esses são os prazos mínimos estabelecidos para se investir em LCI, mas na prática os bancos podem oferecer LCIs com vencimentos diversos como para seis meses, um ano, dois anos, ou até mais.

DICA IMPORTANTE: Todo investimento deve estar ligado à um objetivo, seja de curto, médio ou longo prazo. Por isso é sempre importante escolher investimentos cujos prazos estejam de acordo com os prazos de seus objetivos. (veja aqui como definir seus objetivos para realizar seus sonhos)

 

COMO É A RENTABILIDADE DA LCI

Rentabilidade LCI

 

Assim como os CDBs, as Letras de Crédito Imobiliário podem ter rentabilidade pré-fixada e pós-fixada.

No caso das LCIs com rentabilidade pré-fixada você fica sabendo o quanto vai receber de juros no momento da compra do título através de uma taxa fixa – como 5% a.a, por exemplo.

Já as LCIs com rentabilidade pós-fixadas você só saberá o quanto vai receber de juros na data do vencimento do título, isso porque neste caso não há uma taxa pré-definida, mas sim uma taxa de referência futura – como um percentual do CDI-Certificado de Depósito Interbancário por exemplo.

Na prática existem basicamente três tipos de Letras de Crédito Imobiliário, cada uma delas leva em consideração uma rentabilidade:

  • LCIs com rentabilidade fixa (pré-fixadas)
  • LCIs com rentabilidade em um percentual do CDI (pós-fixadas)
  • LCIs atreladas a Inflação (IPCA) (mista: pré-fixada e pós-fixada)

Vamos ver em detalhes cada uma delas.

 

LCIs com rentabilidade fixa (pré-fixadas)

 

Quando você investe em LCI com uma rentabilidade pré-fixada, no momento da compra o banco lhe oferece o título com um determinado vencimento e com uma taxa pré-definida.

Você já fica sabendo o quanto vai receber no vencimento do título.

Vamos supor que o banco lhe ofereça uma LCI com uma taxa pré-definida de 14,10%, com um prazo de vencimento para 1 ano, e um valor mínimo para aplicação de R$ 5.000,00.

Neste caso você já fica sabendo na data da compra do título que ao final de um ano você irá receber: R$ 5.000,00 + 14,10% = R$ 5.705,00.

Veja que a taxa é fixa e independentemente do que aconteça com a economia esse será o valor que você irá receber, ele não muda.

Os títulos pré-fixados são indicados para quando achamos que a taxa básica de juros da economia SELIC não vai subir.

 

LCIs com rentabilidade percentual do CDI (pós-fixadas)

 

Para entendermos sobre as LCIs com rentabilidade em um percentual do CDI, primeiramente temos que entender o que é a taxa CDI e como ela surge, vamos lá!

A taxa CDI, também chamada de taxa DI, é calcula pela CETIP – Central de Custódia e Liquidação de Títulos Privados (você pode saber qual é o valor da taxa DI atual aqui).

A taxa DI é calculada com base nas transações interbancárias (entre os bancos) veja:

Quando um banco está precisando de dinheiro ele empresta de outro banco, naturalmente o banco que emprestou cobra juros (uma taxa).

Esse empréstimo é feito através dos chamados CDIs-Certificados de Depósito Interbancário, uma espécie de CDB, só que a transação não envolve pessoa física, é somente entre os bancos.

Essas transações acontecem o tempo todo entre os bancos, daí a CETIP faz uma média das taxas de juros cobradas entre os bancos, e surge então a taxa CDI.

“A taxa CDI é uma média das taxas cobradas nas transações entre os bancos, calculada pela CETIP”

 

Pois bem, agora que você já sabe o que é a taxa CDI e como ela é calculada vamos entender como funcionam as LCIs com a rentabilidade atrelada à taxa CDI.

Vamos supor que um banco ofereça uma LCI com uma rentabilidade de 97% do CDI.

Nestes caso o banco está usando o CDI como uma taxa de referência futura, ou seja, a rentabilidade vai depender de qual será o valor da taxa CDI no vencimento do título.

Por exemplo, se no vencimento do título a taxa CDI estiver em 15% então a rentabilidade do título será de: 15 x 97% = 14,55%.

Se você aplicar R$ 10.000,00 neste título você irá receber no vencimento: R$ 10.000,00 + 14,55% = 11.455,00.

Veja que quanto maior estiver a taxa CDI no vencimento do título maior será a rentabilidade, e quanto menor for a taxa CDI no vencimento do título, menor também será a rentabilidade.

Partindo desse princípio, esses títulos são indicados quando acreditamos que a taxa CDI irá subir, pois quanto maior for a taxa CDI maior será nossa rentabilidade.

Importante observar aqui que a taxa CDI está diretamente ligada a taxa de juros básica da economia a SELIC, em geral a taxa CDI se mantém bem próxima da SELIC.

Portanto, a taxa CDI vai variar para cima ou para baixo dependendo de como a taxa básica da economia (SELIC) vai reagir.

 

LCIs atreladas a Inflação (IPCA) (mista: pré-fixada e pós-fixada)

 

As LCIs atreladas a inflação em geral são chamadas de títulos mistos, ou seja, a rentabilidade é um misto de pré-fixada com pós-fixada.

Assim os bancos podem oferecem LCIs com uma rentabilidade fixa de 5% por exemplo + a variação da inflação (IPCA).

Neste exemplo, se no vencimento do título a inflação do período for de 6% a rentabilidade total será de: 5%(fixo) + 6%(inflação) = 11%.

Neste tipo de LCI a rentabilidade vai depender de quanto vai ser a inflação no período entre a compra e o resgate do título.

Esses títulos são indicados para quem quer proteger o capital da inflação, porque a rentabilidade sempre será real (no exemplo acima 5%) independentemente de quanto vai ficar a inflação.

 

QUAIS OS RISCOS DAS LETRAS DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO

Riscos LCI

 

O risco para quem investe em Letras de Crédito Imobiliário é o risco de crédito com o banco, ou seja, o investidor corre o risco de o banco que emitiu o título falir e não devolver o valor investido.

Aí você pode dizer, mas um banco pode falir?

A resposta é sim! Um banco pode falir e não arcar com os seus compromissos com os seus correntistas e investidores.

Naturalmente, bancos maiores tem menos chance de falir do que bancos menores, porém, todos estão sujeitos a terem problemas.

Mas calma! Não é por acaso que os investimentos em LCI são considerados de baixo risco.

Acontece que os valores investidos nas Letras de Crédito Imobiliário são garantidos pelo FGC – Fundo garantidor de Crédito até o limite de R$ 250 mil por CPF e instituição emissora.

Mas o que isso significa?

Significa que se o banco “quebrar” e você tiver um valor igual ou inferior a R$ 250 mil investido em LCI o FGC irá devolver o dinheiro para você.

É por isso que as LCIs são consideradas um investimento de baixo risco.

O fato de serem garantidas pelo FGC traz uma grande segurança para o investidor que respeitar limite de R$ 250 mil, é como se o investidor contasse com um “seguro” contra perdas.

 

CUSTOS E TRIBUTAÇÃO: ZERO DE IMPOSTO DE RENDA E CUSTO ZERO?

Tributação LCI

 

A grande vantagem das Letras de Crédito Imobiliário é que elas são isentas de Imposto de Renda, isso torna esses investimentos bastante competitivos se comparados com outros investimentos em renda fixa.

Em relação às taxas de administração ou custos, em geral não há cobranças.

Veja que investindo em LCI você está emprestando dinheiro para o banco, não faz nenhum sentido ele cobrar de você alguma taxa por isso certo?

Ótimo não é mesmo? Taxa zero, IR zero…

É… Realmente as LCIs possuem algumas vantagens, vamos ver então um resumo dessas vantagens.

 

VANTAGENS DAS LETRAS DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO

 

Diante do que vimos sobre os investimentos em LCI, podemos observar algumas vantagens destes títulos:

  • São isentos de imposto de renda
  • Não possuem taxas (custos)
  • É um investimento considerado conservador (baixo risco)
  • É garantido pelo FGV (Fundo Garantidor de Crédito)

Entenda aqui que estamos falando de vantagens dos Investimentos em LCI no sentido de comparar com características de outros investimentos.

Em nenhum momento entenda que é mais “Vantajoso” investir em LCI em detrimento de outros investimentos.

A melhor decisão de investimento é aquela em que você sabe o que está fazendo!

Por isso estudar continuamente sobre investimentos é fundamental para lhe dar mais confiança na hora de decidir sobre quais investimentos são mais adequados e vantajosos para você.

Quer aprender mais sobre investimentos? Leia todos os artigos já disponibilizados no Guia das Finanças sobre investimentos aqui!

Quer receber mais informações sobre Investimentos? Inscreva-se GRATUITAMENTE no Guia das Finanças e seja o primeiro a receber atualizações.direita

Compartilhe este artigo com seus amigos nos ícones sociais abaixo e ajude eles a investir com sabedoria.

Se tiver alguma dúvida deixe seu comentário logo abaixo.

Prosperidade, sucesso, e até o próximo artigo da série!!


 

Você também pode gostar disso: